Shun Tak quer trocar com o Governo terrenos no Lote D da Zona de Nam Van | Land Portal

Fonte e foto: ponto final.
Autor: João Santos Filipe
03/11/2016

A empresa controlada por Pansy Ho, filha do magnata Stanley Ho, quer trocar com o Governo os terrenos ao lado da Torre de Macau, na zona de Nam Van. Mas José Pereira Coutinho defendeu, ao PONTO FINAL, que parte dos lotes da concessões estão expiradas e lembrou que o Governo precisa de construir mais 80 mil fracções económicas.

A Shun Tak vai propor ao Governo a permuta dos terrenos do Lote D da Zona de Nam Van, junto à Torre de Macau, sobre os quais tem os direitos de exploração por outros lotes na RAEM. A decisão foi anunciada na terça-feira e é justificada pela empresa com o facto do Plano Director de Macau – necessário para a realização de obras no local – ainda não ter sido aprovado.

A empresa, controlada por Pansy Ho, tinha como objectivo desde 2004 construir o empreendimento Harbour Mile nos terrenos em questão. O empreendimento deveria incluir residências, hotéis, casino e lojas. Contudo o projecto nunca avançou por ter ficado à espera do Plano Director de Macau, documento que ainda não está concluído.

Os terrenos em causa são compostos por quatro lotes, sendo que em dois desses lotes o prazo para o aproveitamento expirou a 30 de Julho deste ano, de acordo com a nova Lei de Terras. Os lotes com a concessão expirada estavam concessionados às empresas de investimento mobiliário Va Keng Van e Wui Keng Van, que neste caso são representadas pela Shun Tak.

“Depois de analisar a situação e as opções, o Grupo [Shun Tak] propõem-se a […] a negociar directamente com o Governo da RAEM a abdicação dos terrenos e das promessas de terrenos existentes, tendo em vista a obtenção de outros locais para construção considerados favoráveis e aceitáveis pela companhia”, afirmou a empresa em comunicado.

“O Grupo vai tentar estabelecer negociações em boa-fé e na procura de soluções eficazes com o Governo, defendendo os melhores interesses dos accionistas”, frisa.

 

Questão de transparência

 

Devido à pressão dos diferentes quadrantes políticos – e tendo em conta que duas concessões já expiraram – as negociações podem não ser fáceis. Isto porque a questão envolve a nova Lei de Terras, sobre a qual não há uma leitura consensual: “Penso que há uma questão jurídica e legal do aspecto da caducidade dos terrenos e não acho correcto que o Governo pense em negociar, quando os terrenos estão quase a expirar nos termos da nova Lei de Terras”, afirmou José Pereira Coutinho, membro da Assembleia Legislativa, ao PONTO FINAL. “Alguns já expiraram e o Governo tem é de cumprir as lei e reverter os terrenos”, acrescentou.

José Pereira Coutinho mostrou-se igualmente preocupado porque considera que não tem havido transparência em relação às dívidas de terreno existentes por parte da RAEM.

“Em primeiro lugar há que explicar e resolver de uma vez por todas qual é a dívida que o Governo tem para com os particulares no âmbito das trocas e baldrocas que se foram fazendo desde o estabelecimento da RAEM até à presente data”, sublinhou.

O deputado defendeu ainda que a população de Macau quer que O Executivo avance para a construção de mais casas económicas e que além das fracções já planeadas há necessidade de construir outras 80 mil fracções económicas, assim como reservar terrenos para a habitação para funcionários públicos.

Também na terça-feira, a Shun Tak anunciou que chegou a acordo com a empresa Shanghai Lujiazui para a compra de um terreno com 26,707 metros quadrados na cidade de Qiantan, na zona metropolitana de Xangai. No local vão ser construídos escritórios, lojas, um centro cultural e de artes e ainda um hotel. O projecto vai ser desenvolvido em parceria com a Shanghai Lujiazui. A Shun Tak desembolsou 2,24 mil milhões de dólares de Hong Kong na aquisição do terreno

 Copyright © Fuente (mencionado anteriormente). Todos los derechos reservados. El Land Portal distribuye materiales sin el permiso del propietario de los derechos de autor basado en la doctrina del "uso justo" de los derechos de autor, lo que significa que publicamos artículos de noticias con fines informativos y no comerciales. Si usted es el propietario del artículo o informe y desea que se elimine, contáctenos a hello@landportal.info y eliminaremos la publicación de inmediato.



Varias noticias relacionadas con la gobernanza de la tierra se publican en el Land Portal cada día por los usuarios del Land Portal, de diversas fuentes, como organizaciones de noticias y otras instituciones e individuos, que representan una diversidad de posiciones en cada tema. El derecho de autor reside en la fuente del artículo; La Fundación Land Portal no tiene el derecho legal de editar o corregir el artículo, y la Fundación tampoco espalda sus contenidos. Para hacer correcciones o pedir permiso para volver a publicar u otro uso autorizado de este material, por favor comuníquese con el propietario de los derechos de autor.

Comparta esta página