ONU: 87% do valor de subsídios agrícolas distorce preços e é nocivo ao ambiente | Land Portal
Foto: ADB/Jawad Jalali. Produtores plantam batatas no Afeganistão.
 
Levantamento de agências das Nações Unidas mostra que US$ 470 bilhões destinados aos produtores estão sendo mal empregados; agricultura é um dos setores que mais contribuem para mudança climática por meio de emissões de gases; ONU quer reaproveitamento dos incentivos para o alcance da Agenda 2030. 
 
O apoio global para produtores do setor agrícola gira em torno de US$ 540 bilhões ao ano, ou 15% do valor total da produção agrícola. Mas um estudo divulgado, esta terça-feira, por várias agências da ONU mostra que 87% desse dinheiro está sendo mal empregado. 
 
São cerca de US$ 470 bilhões que acabam por “distorcer preços e causar danos ao meio-ambiente e à sociedade”. Por isso, as agências estão pedindo que este valor dos subsídios agrícolas seja melhor empregado, para que o mundo possa alcançar a Agenda 2030 do Desenvolvimento Sustentável.  
 
FAO/Lena Gubler
Foto: © FAO/Lena Gubler. Plantação de arroz nas Filipinas. Esse tipo de cultivo exige grande volume de água e causa impacto no meio-ambiente.

Oportunidade Multi-Bilionária  
O relatório “Uma oportunidade Muti-Bilionária: Reaproveitando o Apoio Agrícola para Transformar os Sistemas Alimentares” é uma publicação conjunta da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO; para o Programa da ONU para o Desenvolvimento, Pnud e o Programa da ONU para o Meio-Ambiente, Pnuma.  
 
Segundo a pesquisa, a maior parte dos subsídios agrícolas, ou US$ 470 bilhões, consistem de incentivos, como tarifas de importação e subsídios de exportação, além de subsídios fiscais ligados à produção de commodities ou mercadorias. 
 
Pela análise das agências da ONU, isso distorce os preços dos alimentos, tem um impacto negativo na saúde das pessoas, destrói o meio ambiente e coloca grandes produtores agrícolas com uma enorme vantagem sobre pequenos agricultores.  
 
Pessoas famintas  
O relatório aponta ainda que no ano passado, 811 milhões de pessoas enfrentavam fome crônica e um entre três habitantes do planeta (2,37 bilhões) não tinha acesso à comida adequada durante todo o ano.  
 
O estudo nota ainda que apesar da maior parte dos subsídios agrícolas ter um impacto negativo, cerca de US$ 110 bilhões são utilizados para apoiar infraestrutura, pesquisa e desenvolvimento. 
 
Mas se houver uma reconfiguração completa do apoio aos produtores agrícola, será possível erradicar a fome, garantir segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a produção e o consumo sustentáveis. Com isso, os efeitos da mudança climática serão menos severos, limitando a poluição e ajudando a reduzir desigualdades.  
 
IFAD/P. Vega
Foto: © IFAD/P. Vega. Mulher vende batatas no Peru.
 
Transformação do setor  
O diretor-geral da FAO, Qu Dongyu, declarou que o relatório “é um alerta para os governos repensarem a maneira como empregam os subsídios agrícolas e fazerem com que os incentivos sejam utilizados para transformar o setor da agricultura”. 
 
O chefe da FAO acredita que redistribuir o dinheiro em uma direção mais sustentável contribuirá para “melhor nutrição, melhor produção, melhor meio-ambiente e para uma vida melhor”. 
 
O setor agrícola é um dos que mais contribuem para a mudança climática por meio de emissões de gases de efeito estufa. Essas emissões são causadas por estrume nos pastos, fertilizantes sintéticos, cultivo de arroz e mudanças no uso das terras.  
 
Calor extremo 
Ao mesmo tempo, os produtores também estão vulneráveis aos impactos da mudança climática, incluindo calor extremo, aumento do nível do mar, secas, enchentes e ataques de gafanhotos.  
 
As agências da ONU avaliam que se os subsídios agrícolas continuarem sendo empregados da mesma maneira, a tripla crise planetária irá piorar. 
 
A indicação aos países de renda alta é para redirecionarem o apoio às indústrias de carnes e de laticínios, que causam 14,5% das emissões de gases. 
 
Já os governos dos países de baixa renda precisam rever o apoio financeiro a pesticidas tóxicos e fertilizantes.  
 
O lançamento do relatório acontece antes da Conferência dos Sistemas Alimentares, marcada pelo secretário-geral da ONU para o dia 23 de setembro. 

Copyright © Source (mentionné ci-dessus). Tous droits réservés. Le Land Portal distribue des contenus sans la permission du propriétaire du copyright sur la base de la doctrine "usage loyal" du droit d'auteur, ce qui signifie que nous affichons des articles de presse pour des fins d'information non commerciales. Si vous êtes le propriétaire de l'article ou d'un rapport et que vous souhaitez qu'il soit retiré, s'il vous plaît nous contacter à hello@landportal.info et nous le supprimerons immédiatement.

Divers articles de presse liés à la gouvernance foncière sont publiés sur le Land Portal chaque jour par ses utilisateurs, à partir de diverses sources, telles que les agences de presse et d'autres institutions et individus, ce qui représente une diversité de positions sur tous les sujets. Le droit est à la source de l'article; la Land Portal Foundation n'a pas le droit de modifier ou de corriger l'article, ni d'endosser son contenu. Pour apporter des corrections ou demander la permission de republier ou toute autre utilisation de ce contenu, merci de contacter le titulaire du droit d'auteur.

Partagez cette page