FAO implementa iniciativa agrícola de mais de US$ 32 milhões em Moçambique | Land Portal | Sécurisation des droits fonciers à travers les données ouvertes
Produtores de Nampula e Zambézia devem melhorar qualidade das safras para chegar a mercados internacionais; Projeto Promove Agribiz deve beneficiar 60 mil agricultores com fundos da União Europeia.*Produtores de Nampula e Zambézia devem melhorar qualidade das safras para chegar a mercados internacionais; Projeto Promove Agribiz deve beneficiar 60 mil agricultores com fundos da União Europeia.*
 
Moçambique formalizou esta quarta-feira um projeto de US$ 32 milhões  que pretende melhorar a competitividade rural nas províncias de Nampula, no norte, e Zambézia, no centro do país.
 
O Fundo das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, assinou o memorando do projeto Promove Agribiz com o Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar do país.
 
Distritos
 
Em declarações a jornalistas, em Maputo, orepresentante da FAO em Moçambique, Olman Serrano, explicou como irá funcionar a iniciativa.
 
“O projeto Agrobiz será implementado pela FAO junto de outros parceiros. A FAO no projeto tem orçamento de €29 milhões, mais ou menos US$ 32 milhões, e tem uma duração de cinco anos sendo implementado em 10 distritos nas províncias de Zambézia e Nampula.”
 
Olman Serrano elogiou os esforços do governo moçambicano e o apoio da União Europeia ao destacar a importância da nova iniciativa envolvendo dezenas de milhares de beneficiários.
 
Vantagens
 
“O projeto vai apoiar diretamente aos agricultores familiares, não só para aumentar a produção e produtividade, mas também para atingir os mercados. Os beneficiários são cerca de 60 mil pessoas que são produtores agrícolas e também entidades de setores públicos e privados no setor agrário. Este apoio contínuo da União Europeia e a FAO em Moçambique é fundamental para fazer face aos desafios que o setor agrário está a enfrentar.”
 
O representante da agência da ONU destacou ainda as vantagens da vertente nutricional do Promove Agribiz.
 
“Irá contribuir para reforçar o sistema nacional de sementes com ênfase na melhoria do quadro regulatório da capacidade institucional no reforço do diálogo público e privado e de conhecimento à capacidade dos produtores locais. Obviamente, não podemos deixar a parte nutricional, vamos trabalhar na melhoria de conhecimento e adoção de práticas de nutrição e segurança dos alimentos que constituem uma grande preocupação em termos de saúde e acesso aos mercados.”
 
ONU Moçambique/Emídio Josine

Moçambique reduziu em 32% o nível de insegurança alimentar e o número de pessoas com fome nos últimos 10 anos.

Mercados 
 
Nas duas províncias mais povoadas de Moçambique, a iniciativa pretende reforçar a resiliência dos pequenos produtores colocando sementes de qualidade ao dispor dos produtores.
 
Outras metas da iniciativa são abrir portas para mercados internacionais, reforçar a cadeia de valor agroalimentar e melhorar os índices de desnutrição no país onde mais de 500 mil pessoas não sabem o que comer na próxima refeição.
 
*De Maputo para ONU News, Ouri Pota.

 

Partagez cette page

Copyright © Source (mentionné ci-dessus). Tous droits réservés. Le Land Portal distribue des contenus sans la permission du propriétaire du copyright sur la base de la doctrine "usage loyal" du droit d'auteur, ce qui signifie que nous affichons des articles de presse pour des fins d'information non commerciales. Si vous êtes le propriétaire de l'article ou d'un rapport et que vous souhaitez qu'il soit retiré, s'il vous plaît nous contacter à hello@landportal.info et nous le supprimerons immédiatement.

Divers articles de presse liés à la gouvernance foncière sont publiés sur le Land Portal chaque jour par ses utilisateurs, à partir de diverses sources, telles que les agences de presse et d'autres institutions et individus, ce qui représente une diversité de positions sur tous les sujets. Le droit est à la source de l'article; la Land Portal Foundation n'a pas le droit de modifier ou de corriger l'article, ni d'endosser son contenu. Pour apporter des corrections ou demander la permission de republier ou toute autre utilisation de ce contenu, merci de contacter le titulaire du droit d'auteur.