Crise agrária e climática na Índia levou 15 milhões a abandonarem suas terras | Land Portal | Sécurisation des droits fonciers à travers les données ouvertes

Segundo dossiê do Instituto Tricontinental, desde 1995, mais de 300 mil agricultores cometeram suicídio no país

O Instituto Tricontinental de Pesquisa Social lançou, nesta terça-feira (8), seu vigésimo primeiro dossiê temático, focado na análise do mundo rural indiano. O documento chamado "A catástrofe climática e o ataque neoliberal à Índia rual" aponta para um contexto de crise agrária no país oriental. 
 
O levantamento aponta como causa desse cenário o avanço de políticas neoliberais para agricultura, baseadas na mercantilização absoluta das terras e sua produção, levando boa parte do campesinato indiano a uma situação insustentável. Um dos fenômenos mais sintomáticos deste fenômeno é o elevado número de agricultores que tiram a própria vida. 
 
Segundo o dossiê, desde 1995, mais de 300 mil agricultores cometeram suicídio e 15 milhões de agricultores abandonaram seus campos. “As empresas multinacionais do ramo, nestas últimas, com seu controle sobre a cadeia global de commodities, sobre as sementes e sobre o comércio, beneficiam-se independentemente do clima irregular e dos preços flutuantes das commodities. Os agricultores, por outro lado, sofrem frequentemente”, diz o texto. 
 
O dossiê se baseia em histórias coletadas por P. Sainath, integrante sênior do Instituto. A primeira delas retrata uma região do país na qual a devastação florestal faz com que haja chuvas de areia no local, impossibilitando a produção dos camponeses. 
 
“A perda de arbustos e florestas é um problema em toda a região de Rayalaseema. Somente no distrito de Anantapur, 11% da área é classificada como “floresta”. A cobertura florestal real diminuiu para menos de 2%. As areias sempre estiveram lá, sim. Mas a força delas, produzindo tempestades de areia, aumentou. Os fazendeiros não veem valor nas barreiras naturais ao vento”, aponta o relatório. 
 
O segundo relato, por outro lado, aponta saídas para o cenário agrário indiano. Uma cooperativa de mulheres foi capaz de superar a devastação causada por uma enchente. 
 
“Para onde quer que se olhe, o dano é assustador. Mas a coragem e o espírito dessas mulheres parecem aumentar em proporção inversa à devastação que sofreram nas enchentes de agosto - a pior de Kerala em um século”, relata Sainath. 
 
O integrante sênior do instituto apresenta três eixos estruturais para uma saída coletiva para a crise agrária e ambiental na Índia: “A agricultura deve ser agroecológica em sua abordagem”, o abandono de “produtos químicos tóxicos e sementes perigosamente mecanizadas” e, por fim, uma reforma agrária “principalmente a que cria cooperativas e coletivização”. 

Partagez cette page

Copyright © Source (mentionné ci-dessus). Tous droits réservés. Le Land Portal distribue des contenus sans la permission du propriétaire du copyright sur la base de la doctrine "usage loyal" du droit d'auteur, ce qui signifie que nous affichons des articles de presse pour des fins d'information non commerciales. Si vous êtes le propriétaire de l'article ou d'un rapport et que vous souhaitez qu'il soit retiré, s'il vous plaît nous contacter à hello@landportal.info et nous le supprimerons immédiatement.

Divers articles de presse liés à la gouvernance foncière sont publiés sur le Land Portal chaque jour par ses utilisateurs, à partir de diverses sources, telles que les agences de presse et d'autres institutions et individus, ce qui représente une diversité de positions sur tous les sujets. Le droit est à la source de l'article; la Land Portal Foundation n'a pas le droit de modifier ou de corriger l'article, ni d'endosser son contenu. Pour apporter des corrections ou demander la permission de republier ou toute autre utilisation de ce contenu, merci de contacter le titulaire du droit d'auteur.