Mudanças de ministro, sem alteração na política ambiental | Land Portal

Blog originalmente publicado no IGTNews No. 32

Na última quarta-feira (23), foi publicada na edição extra do Diário Oficial da União a exoneração do ministro do meio ambiente, Ricardo Salles, pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O processo ocorreu mediante pressões de diferentes atores internacionais, frente ao crescimento dos índices de desmatamento na gestão atual. É importante destacar que Salles está sendo investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), por supostamente ter interferido em investigações sobre apreensão de madeira [1].

A exoneração de Salles foi comemorada por parte da sociedade brasileira, porém, políticos e especialistas observam o episódio com certo ceticismo, posto que acreditam que há baixa expectativas de mudanças na política ambiental do governo Bolsonaro. Para Márcio Santilli, sócio-fundador do Instituto Socioambiental, “não há nenhum sinal de que a política de destruição será alterada”. O ativista afirma que as orientações a Salles decorriam diretamente do presidente da República. “O governo foi obrigado a exonerá-lo e deve insistir na sua política predatória”, destaca Santilli. “O Brasil caminha para receber sanções internacionais por sua irresponsabilidade no campo ambiental” [2].

Fonte: Ministerio do Meio Ambiente

Foto: Marcos Corréa

Conforme nota publicada pela WWF [3], o “B” de boiada não é de Ricardo Salles, mas do governo Bolsonaro. Tanto que no mesmo dia em que o ministro foi exonerado também tivemos a aprovação pela Comissão de Constituição e Justiça do Congresso Nacional da PL 490 [4], que atinge os direitos indígenas em relação a suas terras, o que por sua vez demonstra retrocessos socioambientais que continuam presentes na política ambiental brasileira.

O sucessor de Salles será Joaquim Álvaro Pereira Leite, que até então atuava na pasta como secretário da Amazônia e Serviços Ambientais, tendo chegado ao governo justamente por meio do ex-ministro. Vale destacar que entre julho de 2019 e abril de 2020, Leite era diretor do Departamento Florestal, repartição responsável pelo combate ao desmatamento ilegal [5].

“Trocar seis por meia dúzia não trará alívio ao país. O nome anunciado para a substituição de Ricardo Salles é Joaquim Álvaro Pereira Leite, com quem trabalhou por anos na Sociedade Rural Brasileira. Convidado pelo agora ex-ministro a ocupar a Secretaria da Amazônia e Serviços Ambientais, chegou com a promessa de atrair recursos para a área ambiental, por meio de programas de Pagamento por Serviços Ambientais e venda de créditos de carbono por desmatamento evitado. Mas quem investiria num país que fecha os olhos às ações de criminosos e, por essa razão, vê o desmatamento explodir?” [6].

Observamos, desta maneira, que ainda não há motivos de comemoração, posto que Joaquim Álvaro Pereira Leite não tende a ter uma postura diferente do seu antecessor. A exoneração do pior ministro do meio ambiente da história do país não necessariamente significará uma melhora na política ambiental brasileira de curto prazo, uma vez que a origem do problema vem do Palácio do Planalto.

Referências

1 – INFOMONEY. Ricardo Salles pede demissão do Ministério do Meio ambiente. InfoMoney, 23 de junho de 2021. Disponível em: https://www.infomoney.com.br/politica/ricardo-salles-pede-demissao-do-mi.... Acesso em 28 de junho de 2021.

2 – OHANA, V. Demissão de Salles traz alívio, mas não expectativas de mudança. Carta Capital, 23 de junho de 2021. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/politica/demissao-de-salles-traz-alivio-.... Acesso em 28 de junho de 2021.

3 - WWF Brasil. Mudança de ministro não significa mudança na política ambiental do Governo Bolsonaro. WWF, 23 de junho de 2021. Disponível em: https://www.wwf.org.br/informacoes/noticias_meio_ambiente_e_natureza/?79.... Acesso em 28 de junho de 2021.

4 - ISA. Bolsonaristas e ruralistas aprovam em comissão maior ameaça a direitos indígenas em décadas. Instituto Socioambiental, 23 de junho de 2021. Disponível em: https://www.socioambiental.org/pt-br/noticias-socioambientais/bolsonaris.... Acesso em 28 de junho de 2021.

5 -  VENAGLIA, G. Ricardo Salles pede a Bolsonaro demissão do Ministério do Meio Ambiente. CNN Brasil, 23 de junho de 2021. Disponível em: https://www.cnnbrasil.com.br/politica/2021/06/23/ricardo-salles-pede-a-b.... Acesso em 28 de junho de 2021.

6 - WWF Brasil. Mudança de ministro não significa mudança na política ambiental do Governo Bolsonaro. WWF, 23 de junho de 2021. Disponível em: https://www.wwf.org.br/informacoes/noticias_meio_ambiente_e_natureza/?79.... Acesso em 28 de junho de 2021.

 

Compartilhe esta página