Justiça de Honduras condena assassino de ativista Berta Cáceres | Land Portal
Ambientalista hondurenha foi assassinada em 2016, e caso permanecia inconcluso até hoje
 
A Justiça de Honduras condenou Roberto David Castillo culpado pelo assassinato da ambientalista indígena Berta Cáceres depois de mais de cinco anos do crime. Castillo é militar da reserva e foi presidente da empresa Desensolvimento Energéticos S.A. (DESA), encarregada de construir a hidroeléctrica Água Zarca numa reserva índigena da etnia lenca, a qual Berta pertencia. 
 
A pena será definida numa nova audiência no dia 3 de agosto. Segundo o Ministério Público, Castillo poderia cumprir até 30 anos de prisão. Até o momento, cinco pessoas foram indiciadas pelo caso. Agora familiares e amigos exigem que também sejam penalizados os autores intelectuais do crime. 
 
"É uma vitória dos povos do mundo que acompanharam o processo, da comunidade solidária e dos direitos humanos", afirmou Bertha Zúñiga, uma das filhas de Cáceres.
 
Em comunicado, o Conselho Cívico de Organizações Populares e Indígenas de Honduras (Copinh), organização à qual Berta pertencia, declarou que as estruturas de poder não puderam corromper o sistema judicial e a "estrutura criminosa da família Átala Zablah, da qual faz parte Castillo, não alcançou seus objetivos".
 
O Ministério Público do país também qualificou o veredito como histórico. "Estamos satisfeitos com a resolução, porque obviamente apresentamos todas as provas que demonstravam a culpa de David Castillo, mas o caso não está fechado. Continuamos procurando mais autores intelectuais", disse o porta-voz do MP, Yuri Mora.

 

Repercussão 
 
O Alto Comissionado da ONU em Honduras celebrou a decisão e ofereceu ajuda técnica às instituições públicas do país. "Ao estabelecer responsabilidade pelo assassinato de Berta Cáceres se abre o precedente sobre a importância da justiça ante crimes contra defensores de direitos humanos". O Alto Comissionado pediu, também, que as autoridades hondurenhas continuem responsabilizando todos os envolvidos.
 
Da mesma forma, a Ministra de Relações Exteriores da Espanha Arancha González afirmou "ânimo às instituições hondurenhas para continuarem a investigação e fortalecer o sistema judicial".

 

Nos Estados Unidos, o congressista democrata Chuy García também se manifestou. "É uma vitória depois de uma longa jornada por justiça por Berta Cáceres. Assim como ela nunca desistiu, nós devemos seguir levantando nossas vozes em solidariedade com os povos indígenas e o seu direito de proteger seus territórios e o meio ambiente", publicou.

Já no Brasil, Juram Werneck, representante do movimento de mulheres negras e diretora da Anistia Internacional declarou "finalmente Davi Castillo foi declarado culpado pela co-autoria do assassinato da ativista indígena Berta Cáceres. Nossa solidariedade à família e ao Copinh".

Entenda o caso
 
Berta Cáceres foi uma das fundadoras do Conselho Cívico de Organizações Populares e Indígenas de Honduras (Copinh) e era protagonista das lutas em defesa dos povos indígenas e da preservação ambiental em Honduras. 
 
A ativista foi assassinada enquanto dormia, no dia 02 de março de 2016, em casa, na região de La Esperanza, Intibucá.
 
Berta coordenava manifestações para impedir a construção da hidroelétrica Água Zarca, no rio Gualcarque, que corta terras indígenas lenca. A obra era um investimento da família de empresários Átala Zablah, acusados de serem os verdadeiros autores intelectuais do homicídio.
 
O caso se arrasta há mais de cinco anos na justiça. Em dezembro de 2019, quatro pessoas envolvidas no crime foram condenadas a 34 anos de prisão. 

Copyright © da fonte (mencionado acima). Todos os direitos reservados. O Land Portal distribui materiais sem a permissão do proprietário dos direitos autorais com base na doutrina de “uso justo” dos direitos autorais, o que significa que publicamos artigos de notícias para fins informativos e não comerciais. Se você é o proprietário do artigo ou relatório e gostaria que ele fosse removido, entre em contato conosco pelo endereço hello@landportal.info e removeremos a publicação imediatamente.

Várias notícias relacionadas à governança da terra são publicadas no Land Portal todos os dias pelos nossos usuários, partindo de várias fontes, como organizações de notícias e outras instituições e indivíduos, representando uma diversidade de posições sobre cada tópico. Os direitos autorais estão na origem do artigo; a fundação não tem o direito legal de editar ou corrigir o artigo, nem endossar o seu conteúdo. Para fazer correções ou solicitar permissão para republicar ou outro uso autorizado deste material, entre em contato com o detentor dos direitos autorais.

Compartilhe esta página